Envelhecer faz parte do ciclo da vida, mas estamos prontas para isso?

Hoje é possível chegar à terceira idade e desfrutar da vida com qualidade, mas estamos prontas para isso?

A evolução da medicina e a crescente preocupação da sociedade com a saúde têm feito com que as pessoas possam viver por mais tempo e com mais qualidade. E, se por um lado esse avanço da ciência e da medicina é visto como algo positivo, por outro lado, essa mudança na expectativa de vida traz novas preocupações que antes não eram pertinentes a pessoas da terceira idade.

Hoje, vamos tratar dessas questões que envolvem discussões em torno de estética, sexualidade, conflitos geracionais e afins. Não deixe de conferir!

Beleza, estética e cuidado com o corpo

Há algumas décadas, pessoas de idade mais avançada não pensavam tanto, ou não se preocupavam como hoje, com beleza, estética e cuidado com o corpo. A possibilidade de chegar à terceira idade com autoestima elevada e investindo em tratamentos variados para retardar o envelhecimento parecia distante.

Hoje, essa realidade sofreu uma mudança drástica, com uma geração de idosos que mudou totalmente o paradigma quanto à forma de envelhecer. No entanto, essas mudanças de comportamento ainda não são uniformes, com uma parte significativa dessa faixa etária e pessoas em geral apresentando uma resistência a um novo estilo de vida na, hoje, chamada terceira idade.

Isso se dá de maneira ainda mais acentuada em relação às mulheres que, como sempre, são muito mais passíveis de sofrerem críticas. Enquanto no universo masculino, um homem de cabelos grisalhos, mesmo precocemente, será visto como um homem com ar experiente, maduro, para as mulheres, os cabelos brancos podem ser um pesadelo e gerar uma enxurrada de comentários e críticas indesejadas.

Praticamente o mesmo se dá com os aspectos físicos. Enquanto os homens têm maior liberdade para serem descuidados, e até mesmo deixar aquela barriga aparente, uma mulher se sente muito desconfortável ao sentir que não está em um padrão aceitável.

Mas será que essa é mesmo a forma correta de lidar com o processo de envelhecimento? Por que não podemos aceitar essa parte da vida e lidar de forma mais positiva e leve com as “imperfeições” que vão se acumulando ao longo dos anos? Afinal, não vamos todos envelhecer?

Machismo, libido e padrões de beleza

As questões que tratamos aqui passam todas, invariavelmente, por um problema muito antigo em nossa sociedade e que só recentemente passou a ser discutido mais abertamente, o machismo.

As pressões da sociedade para que tanto as meninas quanto os meninos, desde a infância, conformem-se com os padrões e as expectativas impostas pela sociedade vão ao longo dos anos reprimindo a tal ponto que já não questionamos os porquês de aceitarmos tantas imposições. Mulheres têm que se depilar, não podem falar sobre menstruação, não podem conversar sobre sexo e sexualidade, precisam usar produtos que inibam seus cheiros naturais, devem fazer clareamento das axilas... a lista é interminável.

Será que é esta a melhor forma de lidar com o envelhecimento? Não seria mais benéfico para tantas mulheres, adolescentes e crianças lidar com os padrões impostos pelas relações de gênero de outra forma?

É claro que toda pessoa deseja se sentir bonita, confortável e à vontade com a própria aparência, mas as pressões impostas pela sociedade não precisam ser, necessariamente, todas absorvidas pelo nosso íntimo. É possível ser feliz e se sentir bem, sem acatar a cada padrão e pressão impostos pela sociedade. Por isso, precisamos conversar com as pessoas à nossa volta sobre isso. Somente assim estaremos realmente preparadas para o que chamamos de “envelhecer bem”!

E você? Como costuma lidar com os padrões impostos pela sociedade? Como se sente frente ao processo de envelhecer? Deixe seu comentário e aproveite para interagir com outros leitores!

 

Tags: desfrutaravida envelhecer qualidade terceira idade

Veja mais