De malas prontas!

Mesmo com a alta do dólar, é possível viajar para o exterior

As viagens internacionais, em especial para os Estados Unidos, podem estar mais acessíveis hoje do que há dois ou três anos. A explicação para o que parece um contrassenso – dada a alta do dólar – é o custo das passagens aéreas. Nas empresas que comercializam pacotes e voos pela Internet, o valor dos bilhetes baixou de 30% a 75% nos últimos meses, graças à queda na procura.

Por isso, para quem vive adiando o sonho de conhecer outro país, essa pode ser uma boa oportunidade. Quer mais dicas para economizar e viabilizar esse projeto pessoal? Confira as orientações de Douglas Silveira de Assis, professor do curso de Turismo da Universidade Anhembi Morumbi.  

Pesquise e compare os preços dos voos: para conseguir preços acessíveis, é fundamental planejar-se e comprar o bilhete aéreo com a máxima antecedência possível. “Faça pesquisa em diversos sites de companhias aéreas simulando rotas e comparando preços”, ensina Assis. Considere que os voos noturnos e com conexões são sempre mais em conta, embora ofereçam menos conforto.

Pague menos pelo dólar que vai levar: uma das maneiras de fazer isso é consultar o ranking do Banco Central, que mostra onde comprar o dólar mais barato, em diversas regiões do país.

Viaje na baixa temporada: pesquise qual é esse período na localidade que está pensando em visitar. “Isso permitirá economizar na contratação dos demais serviços turísticos, como hotéis e tours, viabilizando a viagem a um custo bem reduzido”, diz Assis.

Considere hospedar-se em uma casa: “Opções de acomodação como as disponíveis no site AirBnb podem ser muito econômicas”, comenta o professor. Trata-se de um site que aluga temporariamente casas e apartamentos em mais de 190 países. Mas, além dele, existem outros, que vale a pena pesquisar.

Aproveite as promoções, sem abrir mão da segurança: comprar serviços turísticos pela internet requer cuidados. Vale a pena aproveitar os bons preços, mas não sem antes consultar a reputação do site ou aplicativo que está divulgando a oferta. “Leia detalhadamente a oferta e veja quais são os serviços inclusos. Ligue para o SAC se tiver dúvidas. Outra dica é ligar para o hotel e perguntar se ele comercializa seus quartos no site onde foi encontrada a propaganda. Por fim, verifique se não há reclamações contra a empresa. Tudo isso colabora para aumentar a sua segurança na hora da compra”, garante Assis. Ele também recomenda realizar sempre mais de uma cotação, em locais diferentes, antes de fechar o negócio. “Você sempre conseguirá barganhar mais utilizando essa estratégia”, finaliza.

Tags: AirBnb Banco Central dólar família turismo

Veja mais