Cuidador de idosos é a profissão que mais cresce no Brasil

Profissão teve alta de 547%, descubra os motivos

Os cuidadores de idosos ganharam um espaço bem grande na sociedade brasileira nos últimos anos e agora é a profissão que mais cresce no país. Uma pesquisa do Ministério do Trabalho de 2018 revelou que dentro de 10 anos, o número de profissionais saltou de 5.263 para 34.051.

Mas afinal, quais as atribuições de um cuidador de idosos? Bom, isso varia de acordo com as necessidades de cada um, há inúmeras formas de contratação dessas pessoas, combinados entre a família, o cuidador e o próprio idoso.

Alguns só auxiliam na realização de atividades domésticas, como lavar as louças, fazer comida, limpar a casa. Outros ajudam na higiene pessoal, dão banho, trocam fraldas. Cuidadores são verdadeiros vigilantes, eles garantem a segurança dos idosos e dão apoio em todas as atividades durante a noite e o dia. 

Não é obrigatório ter graduação para exercer a profissão, mas um curso de especialização. Geralmente os cuidadores têm formação ou especialização em alguma área da saúde, como enfermagem. Contudo, o curso superior acaba sendo um diferencial, porque essas pessoas sabem como agir da maneira correta em alguns casos específicos e trazem mais segurança aos clientes. É mais simples, por exemplo, dar um banho, aplicar uma medicação específica, medir a temperatura ou a pressão arterial e agir de maneira correta na hora de uma emergência, realizando os primeiros socorros. 

A sociedade não é mais como antigamente

Há alguns anos, quando alguém envelhecia e precisava de cuidados especiais, a família ou as pessoas próximas se organizavam para fazer esse “trabalho” e essas pessoas nem sempre tinham o conhecimento básico em saúde. Com as mudanças na sociedade e as rotinas corridas, os familiares não têm tido como realizar esse cuidado em tempo integral e a necessidade de alguém que seja especializado em saúde e que realize um bom trabalho aumentou.

Um outro fator é que a população mundial, e consequentemente brasileira, está envelhecendo cada vez mais devido a queda dos níveis de fertilidade. Segundo o relatório The World Population Prospects 2019, da Organização das Nações Unidas (ONU) até 2050, uma em cada seis pessoas no mundo terá mais de 65 anos (16%). Atualmente este dado já é significativo, uma em cada 11 pessoas (9%). Pela primeira vez na história, as pessoas com 65 anos ou mais superaram em número as crianças menores de cinco anos no mundo.

Um bom cuidador

A terceira idade é uma fase de muitas mudanças, os reflexos já não são mais os mesmos, o corpo não responde da mesma forma, as doenças incomodam o cotidiano e viver pode ser um desafio ainda maior. Por isso, para cuidar de outra pessoa são necessárias algumas características. A paciência é uma delas, é preciso compreender os limites do idoso e respeitá-los.

Ter empatia, que nada mais é do que se colocar no lugar do outro, é primordial também. Como você gostaria de ser tratado se estivesse naquela condição? Isso ajuda a entendê-los melhor e realizar um trabalho muito mais humano.

Para os idosos tudo tem que ser feito de maneira cuidadosa, a alimentação tem que ser balanceada, os remédios têm horário e dosagem correta, a higiene tem que ser impecável, nesse sentido, ser atento é uma das características de um bom cuidador, pois qualquer descuido pode gerar um grande problema.

Por fim, quem escolhe essa profissão tem que ter consciência de que é um grande desafio e que o maior objetivo é melhorar significativamente a vida de quem está recebendo os cuidados.

Tags: cuidador idosos qualidadedevida

Veja mais